Logo propaganda
Aline Ferraz

O que determina um bom profissional? por Aline Ferraz

Por que existem pessoas com mesma formação porém com atuações diferentes?

Muitos fatores podem estar envolvidos, entre esses é válido citar: A personalidade de cada um;

O compromisso que cada um demonstra ter com sua profissão;

As influências positivas e/ou negativas a qual foi submetido ao longo da vida. As pessoas que tem como referência pessoal;

A vontade de fazer a diferença;

Os seus valores e expectativas de vida;

E o principal o compromisso, a responsabilidade e a ética na profissão. Estes fatores serão determinantes em como uma pessoa será como profissional. É por isso que muitos não entendem porque uns trabalham tão bem e outros não tão bem assim.

A questão crucial é, para ser um bom profissional a pessoa precisa estar comprometida com a responsabilidade. Quando se é responsável há o compromisso com o papel da profissão e com a representação dessa profissão perante a sociedade.

Um bom profissional não se preocupa apenas em ter um monte de cursos no currículo, ele se preocupa em como usar este conhecimento para demonstrar todo seu profissionalismo. Ser bom profissional não precisa estar intimamente ligado com ser “escravo” de um empresa ou ser um “fantoche” do que muitos pregam como o que caracteriza uma pessoa de destaque.

Essa ideia de que um bom empregado é o que vive em um regime quase ditatorial dentro de uma empresa é uma teoria arcaica do bom profissionalismo.

Em muitos textos relacionados ao assunto existem dicas tais como: Para ser um bom profissional o empregado precisa, colocar a empresa em primeiro lugar em sua vida; cultivar um ambiente de relacionamento com todos para denotar um bom clima organizacional; que os empregados devem respeitar integralmente sua hierarquia mesmo que isso signifique agir com falta de ética entre outras.

Porém, um bom profissional não se vende por promessas de promoção ou não se coloca em situações antiéticas para garantir uma falsa impressão de bom clima organizacional.

Antes, este profissional se dedica em aumentar seus conhecimentos para garantir que sua atuação na empresa seja significativa e traga resultados positivos. A questão de relacionamento deve ser garantida não para obter vantagens pessoais, mas para manter o respeito e colaboração entre colegas e gerentes. Isso indica que para ser um bom profissional a atuação da pessoa não precisa estar condicionada totalmente a atitude de outros, mas sim no compromisso pessoal em fazer o seu melhor em atuar com conhecimento e responsabilidade em sua área.

Sobre a autora: Aline Ferraz é Graduada em Gestão de Recursos Humanos; Pós-graduada em Tecnologia em Recursos Humanos e Gestão de Projetos T.I.

Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ir Topo