Logo propaganda
Entrevistas

Escritora organiza antologia de contos de terror e suspense

A escritora Ana Claudia Domingues, de 30 anos, é a autora do livro “Outros Olhos”. O livro da escritora de Itapeva, interior de São Paulo, que organiza antologia de contos de terror e suspense, fez sucesso antes mesmo do lançamento, em outubro de 2017.

O livro conta a história de Luiza, uma garota que vive numa cidade pequena chamada Nova Esperança. A cidade, como muitas outras por aí, possui algumas lendas, uma delas é a famosa mansão mal assombrada que carrega algumas histórias que faz com que a população da cidade evite a casa. Aos 10 anos de idade, num instante de coragem, Luiza e uma amiga entram nela, mas apenas Luiza é tocada. A partir daí coisas estranhas começam a acontecer e ela não sabe identificar o que pertence à realidade e o que pertence ao mundo dos sonhos. A história trata de descobertas, carrega muito suspense e algumas dores.

O livro "Outros Olhos" da escritora de Itapeva, que organiza antologia de contos de terror e suspense, fez sucesso antes mesmo do lançamento.
Livro de Ana Claudia aborda antologia de contos de terror e suspense

Ana Claudia nos concedeu uma entrevista falando um pouco sobre sua carreira e o universo criado em “Outros Olhos”. Confira:

RVS- Como surgiu a ideia do livro e o nome “Outros Olhos”?
Ana Claudia- Eu não saberia dizer o momento exato onde a ideia surgiu, quando vi já havia escrito alguns capítulos. O nome veio no decorrer da escrita em um dos fatos confusos que acontecem com a personagem principal.

RVS- Quanto tempo levou desde o surgimento da ideia até o lançamento do livro?
Ana Claudia- A ideia sempre rondou minha cabeça, sempre sonhei em escrever um livro. Mas, do dia em que comecei a escrever essa história até o dia em que decidi publicá-la e, de fato, o fiz foi pouco mais de um ano.

RVS- O que mais tem chamado a atenção dos leitores no livro? 
Ana Claudia- Acredito que seja o suspense. Eu tenho uma página no Facebook chamada “Apague a luz e leia”, nela eu publico pequenas histórias, contos, e é dela que vem minha coragem e meu incentivo. A cada história publicada recebo muitos elogios acerca do modo que escrevo e da forma em o suspense é trazido para minhas histórias, mas, a característica que acaba sendo mais elogiada principalmente, são as reviravoltas que acontecem quando as histórias chega ao fim. Da mesma forma que acontece com as histórias mais curtas publicadas na rede social, acontece com o livro: o suspense, e como ele se desenvolve até que o seu desfecho seja mostrado é o que chama mais atenção em todas as histórias que escrevi até agora.

RVS- Alguma obra te influenciou para escrever “Outros Olhos”?
Ana Claudia- Não diria que uma única obra, eu sou influenciada por muitas delas. Eu tenho um autor favorito: Stephen King. Todas as suas histórias, os seus livros, até mesmo, ou principalmente, sua forma de escrever são uma influencia para mim, não só para aquilo que eu escrevo. Suas histórias são carregadas de detalhes que parecem insignificantes, mas que se mostram essenciais para o desenvolvimento do personagem, do ambiente e da história em si.

RVS- Quando e como os livros entraram em sua vida?
Ana Claudia- Eu aprendi a ler com quatro anos e, desde então, a palavra escrita se tornou a coisa mais interessante para mim. Lembro-me de mim bem novinha parando em toda esquina para ler o que as placas diziam. Eu não venho de uma família de leitores, mas minha mãe, percebendo o quanto as letras eram importantes para mim, me comprava livros diversos, ainda assim, afirmo que o livro só entrou na minha vida, de fato, quando eu estava na oitava série, através de uma professora chamada Edna Cardoso.

Ela me apresentou o livro ‘Feliz ano velho’ de Marcelo Rubens Paiva e me solicitou uma resenha do mesmo, a partir daí passou a me emprestar livros pessoais e então, o amor nasceu. Essa professora tem muita responsabilidade pela pessoa leitora que me tornei.

RVS- E como se descobriu escritora?  
Ana Claudia- Eu não me descobri, talvez eu tenha sido descoberta. A verdade é que eu sempre gostei de escrever, sempre fui apaixonada pelo papel e pela caneta. Gostava de escrever histórias sobre tudo ao meu redor, algumas vezes me arriscava em poemas, mas nunca me sentia completa com aquilo que eu botava no papel, era como se eu escrevesse algo diferente do que eu realmente gostaria de dizer. O suspense sempre encheu meus olhos, na literatura e no cinema, e sempre me pegava pensando em algo como ‘por que não criam uma história assim?’ ou então ‘Por que ninguém nunca pensou em fazer isso?’ até o dia em que pensei ‘Eu posso criar uma história assim!’ e então escrevi e postei na minha conta do facebook. Várias pessoas elogiaram e vieram perguntar se a história era minha, depois disso criei coragem para mostrar ao meu, então namorado, os capítulos já existentes do meu livro e ele foi o meu maior incentivador nesse processo.

RVS- Quais suas inspirações?  
Ana Claudia- Tenho algumas. Dentre elas Stephen King, meu autor favorito como já dito anteriormente, Edgar Allan Poe e a rainha do suspense Agatha Christie.

RVS- Neste caminho, da escrita ao lançamento dos livros, para você, como foi este processo?
Ana Claudia- Tenho duas palavras que resumem muito bem esse processo: dificuldade e gratidão. Eu sou uma pessoa que adora conversar, que sempre tem o que dizer e isso faz com que as pessoas duvidem da minha timidez, mas mostrar para elas aquilo que eu escrevi foi uma experiência extremamente complicada e amedrontadora, eu sentia muita vergonha e medo das críticas, medo de me sentir mais capaz do que realmente era, mas quando aconteceu, quando pessoas desconhecidas começaram a curtir e elogiar minhas histórias, o sentimento que tomou conta de mim foi a gratidão. Essa gratidão tem sido constante, não que a timidez tenha ido embora totalmente, mas talvez esse temor seja o que torne a gratidão ainda maior.

RVS- Como está sendo a aceitação?
Ana Claudia- Eu tenho me surpreendido bastante. Vender mais de 100 livros antes mesmo dele se tornar algo físico foi algo muito inesperado. Pessoas que nunca me viram confiaram em mim, confiaram no meu talento, mais que isso, elas investiram naquilo que acreditaram, investiram em mim. Eu não poderia imaginar maior aceitação que essa. Meus olhos se enchem de água cada vez que me lembro do começo de tudo.

RVS- Tem planos para novos livros?
Ana Claudia- Tenho sim. A princípio tenho investido mais na página e nas pequenas histórias. Alguns dos meus leitores já me cobraram para fazer um livro de contos, mas, além disso, já tenho ideias e pensamentos para um próximo livro.

RVS- Gostaria de deixar uma última mensagem para os nossos leitores? 
Ana Claudia- Gostaria de pedir para que eles dedicassem algum tempo a leitura literária. Não falo sobre o meu livro, mas sobre as histórias de uma forma geral. Uma sociedade leitora se torna questionadora, tem seus padrões e suas convicções quebradas e, assim, torna-se capaz de mudar o mundo.

Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ir Topo