Brasília

Em 10 dias, 10 policiais militares do DF morrem vítimas da Covid-19

Desde começo da pandemia, 20 militares da ativa morreram por Covid-19 no DF. Nesta terça-feira (23), corporação soma 107 servidores afastados, sendo que 32 estão internados.

Na manhã desta terça-feira (23), mais um profissional da Polícia Militar do Distrito Federal morreu em decorrência da Covid-19. O 2º sargento Marcelo Barros Lima, que estava lotado no Centro de Manutenção (Cman), é a 10ª vítima da doença dentro da corporação, em um intervalo de 10 dias.

Em nota, a PMDF informou que o militar estava internado no Hospital Maria Auxiliadora, no Gama, mas não resistiu às complicações da doença. A corporação lamentou o falecimento do policial e prestou apoio aos parentes.

“Aos familiares e amigos, transmitimos as nossas mais sinceras condolências pela partida do nobre policial militar”, disse a PMDF.

Segundo a Polícia Militar, desde o início da pandemia, 20 PMs da ativa perderam a vida por causa da Covid-19. Outros 43 militares da reserva também faleceram no último ano, vítimas do novo coronavírus.

A PM informou que tem 107 servidores afastados do serviço e 1.623 recuperados. Há ainda 32 policiais internados.

Mortes nas forças de segurança

Desde março de 2020, quando houve o primeiro caso registrado do novo coronavírus no Distrito Federal, 2.850 profissionais da segurança pública testaram positivo. Desses, 35 perderam a vida, segundo dados da Secretaria de Saúde.

Os profissionais das forças de segurança fazem parte dos grupos prioritários a serem imunizados contra a doença. Porém, ainda não há data para que a imunização desse público comece.

Nesta segunda-feira (22), a capital federal começou a imunizar idosos a partir de 69 anos, além de profissionais da saúde, indígenas e pacientes em home care [cuidados em domicílio]. A ampliação da campanha depende das doses das vacinas, que são enviadas pelo Ministério da Saúde.

Nas redes sociais, a RVS pode ser encontrada no FacebookInstagramTwitter e YouTube. Para enviar uma sugestão ou critica entre em contato pelo nosso WhatsApp (61) 3526-7399.

Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

Ir Topo