Logo propaganda
Notícias

Comércio ambulante domina a Rodoviária do Plano Piloto e passageiros reclamam

Mesmo com as proibições, os camelôs lutam diariamente para conseguir trabalhar nas imediações da Rodoviária do Plano Piloto e comércio ambulante incomoda muitos que passam pelo local.

Quem transita diariamente pela Rodoviária do Plano Piloto sabe a dificuldade que é caminhar no local, não só pela grande quantidade de passageiros que passam pela região diariamente, mas também pelo comércio informal que acontece nas intermediações do lugar. Lá é possível encontrar uma grande variedade de produtos, que são vendidos sem nota fiscal e muitas vezes, itens falsificados.

Apelidado por alguns de “shopping chão”, os famosos camelôs dominam a plataforma inferior e superior do terminal rodoviário, além da passarela de acesso ao shopping Conjunto Nacional, comercializando roupas, perfumes, acessórios, alimentos, brinquedos, artesanato e até eletrônicos, transformando o ambiente em uma feira irregular.

Muitos passageiros reclamam que transitar na Rodoviária ficou impossível. Um deles é o estudante de estatística, Lucas Ribeiro, 22, que queixa-se do comércio informal que acontece no local. “Além de a gente ter que andar olhando para o chão para desviar das coisas deles, aqui fica uma gritaria e correria, porque os camelôs têm medo das suas mercadorias serem apreendidas”.

A ação é proibida, e as secretarias DF Legal, de Segurança Pública (SSP) e de Transporte e Mobilidade (Semob), publicaram em janeiro deste ano a Portaria Conjunta nº 2/2022, que tem como objetivo definir o papel de cada pasta na fiscalização do comércio ambulante na Rodoviária do Plano Piloto, otimizando a liberação de espaços para os usuários do transporte público e evitando o comércio irregular nas plataformas e no acesso à estação do metrô.

Os lojistas que possuem bancas fixas no terminal também não gostam do comércio irregular que acontece no local, já que eles tiram toda a atenção do público que frequenta a área, como explica o lojista Joildo Dias. “Eles estão em maior número, e acabam atrapalhando a gente que tem ponto aqui, mas entendo que eles precisam trabalhar, então acho que o certo seria ter um ambiente adequado para eles ficarem”.

Mesmo com as proibições, os camelôs lutam diariamente para conseguir trabalhar nas imediações da Rodoviária do Plano Piloto. Comércio ambulante incomoda muitos que passam pelo local.
Vendedores ambulantes na Rodoviária do Plano Piloto, Brasília. Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

O outro lado da moeda

Apesar das proibições e reclamações, o trabalho de muitos dos comerciantes ambulantes é essencial para o sustento da família, como é o caso da vendedora ambulante, Elena da Silva. “Vim do Maranhão com uma criança pequena, e deixei mais três lá, e como não tenho estudo, não consegui um emprego que desse pra sustentar a minha família, então a única alternativa foi vender meus produtos aqui na Rodoviária”.

A comerciante ainda destaca que essa é a sua única fonte de renda, e fala da batalha que enfrenta no local todos os dias. “Não recebo nenhum auxílio do governo, então essa é a única forma que tenho para sustentar meus filhos, mas tem dia que não consigo trabalhar porque o DF Legal passa o dia aqui e não deixa a gente conquistar o nosso pão de cada dia, e quando isso acontece, fico o dia todo com fome, porque nem dinheiro pra comprar uma marmita eu consigo”.

E há quem gosta do “shopping chão”, como a aposentada, Maria do Carmo, 62, que gosta dos vendedores no local, pois eles vendem produtos práticos e acessíveis. “A gente que não tem muita condição e precisa das coisas gosta de ter pessoas que vendem produtos de qualidade a um preço amigo, porque aí posso comprar o que necessito sem pesar no bolso no fim do mês, além da facilidade de poder comprar enquanto espero o ônibus”.

Mesmo com as proibições, os camelôs lutam diariamente para conseguir trabalhar nas imediações da Rodoviária do Plano Piloto. Comércio ambulante incomoda muitos que passam pelo local.
Vendedores ambulantes na Rodoviária do Plano Piloto, Brasília. Foto: Leonardo Sá/Agência Senado

Leia mais notícias sobre o Distrito Federal em www.portalrvs.com.br. Nas redes sociais, a RVS pode ser encontrado no FacebookInstagramTwitter e YouTube. Para enviar uma sugestão de pauta ou critica entre em contato pelo nosso WhatsApp (15) 99719 6369

Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ir Topo