Logo propaganda
Notícias

Batalha de rima mistura arte urbana e solidariedade em Itararé

Rimas, improviso e criatividade não faltaram durante a batalha de rap organizada pela Santt Company no último domingo (10.abr.2022), na Praça Vincenzo de Donno, em Itararé (SP).

O objetivo é que os mais corajosos e talentosos desafiem o outro a debater temas pela combinação de sons das palavras. É hora de os caras se provocarem, se alfinetarem nas brincadeiras. As meninas aproveitam para trazer à tona temas espinhosos e tão reais em suas rotinas, como feminismo.

De acordo com a organizadora do movimento o projeto das batalhas de rimas é realizado para abrir espaço e dar voz aos artistas itarareenses. “Nosso foco foi trazer um pouco da cultura Hip Hop que é muito marginalizada e pouco expressada aqui em Itararé, e também para dar voz aos nossos artistas, já que em nossa cidade a grande maioria estão no anonimato”, afirmou a organizadora.

O RAP, no Brasil, surge em 1986 como forma de representatividade e cultura. Inicialmente, um universo era masculino. Hoje, a participação feminina nas batalhas tem ganhado força a cada dia. De acordo com Maria Santt, ser mulher no Brasil não é fácil, ainda mais no mundo do RAP. “A mulher precisa meter a cara realmente e fazer acontecer, pois não é fácil ser mulher na cena pois muitos não confiam em nosso potencial, é isso acontece em qualquer outra área que é vista como espaço masculino, eu sou um exemplo disso”, diz.

A empresária ainda destacou que as mulheres tem sido grandes exemplos na cena do RAP. “Tenho uma marca de roupas streetwear e todos os dias meus clientes acham que atrás do telefone tem um homem atendendo, mas eu faço questão deles ficarem sabendo que além da dona de marca ser uma mulher, as pessoas por traz da produção são mulheres também, já temos grandes exemplos femininos na cena do RAP, mas sempre terá espaço para cada uma ser a próxima referência”, conclui.

O rap faz parte do movimento hip hop, que é composto por mais três manifestações artísticas: o DJ, o break dance (dança de rua) e o grafite. Essas são expressões culturais que surgiram na rua e, teoricamente, têm uma relação forte com as questões sociais, principalmente de quem vive na periferia.

Rimas, improviso e criatividade não faltaram durante a batalha de rimas do último domingo na Praça Vincenzo de Donno, em Itararé (SP).

Solidariedade

Além do entretenimento oferecido aos jovens, os organizadores recolheram doações de roupas de frio para pessoas em situação de vulnerabilidade social de Itararé. O objetivo foi estimular a cidadania e caridade entre os participantes da batalha.

Leia mais notícias sobre Itararé e Região em www.portalrvs.com.br. Nas redes sociais, a RVS pode ser encontrado no FacebookInstagramTwitter e YouTube. Para enviar uma sugestão de pauta ou critica entre em contato pelo nosso WhatsApp (15) 99719 6369.

Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ir Topo